Inside

Blog

21 . Maio

Pandemia aumenta consumo de internet e uso de redes sociais

A rotina das pessoas mudou consideravelmente com a pandemia do A coronavírus. Grande parte, precisou readequar as suas atividades e começar a atuar em regime de home office e, até mesmo, limitar as saídas e redobrar os cuidados com a saúde. Como consequência de tudo isso, um fator sofreu uma grande mudança, o uso das redes sociais e o consumo de internet cresceu consideravelmente.

Todo esse aspecto é movido pela maior reclusão devido a medidas de isolamento social. A partir disso, além de utilizar as suas próprias redes para trabalhar, a internet se tornou uma forma de distração e de entretenimento. Os dados ficam ainda mais expressivos se considerarmos, o que as grandes empresas de internet reportam. De acordo com elas, o crescimento do consumo gira em torno dos 25% a 30%.

Além disso, esse aumento é visto em todos os turnos do dia, sem exceção. Um bom exemplo para isso, é o turno da tarde que sempre foi menor em comparação ao da noite, porém, no atual cenário está em igualdade.

AUMENTO DO CONSUMO DE INTERNET

De acordo com dados da Brasil Internet Exchange, o consumo de internet, na região de Caxias do Sul, cresceu cerca de três vezes em comparação com o mesmo período do ano passado. Em abril de 2019, a média de bits, medida para transferência de dados, girava em torno de 150 milhões por segundo. Já no atual momento, a marca atinge números próximos aos 500 milhões.No cenário nacional, os dados seguem esse mesmo panorama.

Da mesma forma que no Brasil, outros países registraram aumento no uso da banda durante este período de pandemia. Na Alemanha e no Reino Unido, girou em torno dos 20%. Enquanto, na Itália chegou aos impressionantes 40%.

Com o crescimento do uso, uma série de outros aspectos também teve uma grande mudança de cenário. Um deles, por exemplo, é as vendas por e-commerce. A ação não se restringe apenas as grandes empresas que já possuem uma marca consolidada no digital. Mas, também as pequenas que acabam utilizando a força das redes sócias para realizar a propaganda dos seus produtos.

NAS REDES SOCIAIS

Para suprir a distância, as pessoas têm utilizado mais as redes para se comunicar. Tanto é que o Facebook Messenger e Instagram já anunciaram um aumento de 50% na troca de mensagens nas últimas semanas. Já na Itália, por exemplo, o número de pessoas que utilizam a rede social para fazer ligações em grupo cresceu em 1000%.

Na mesma linha que as vendas no comércio online, as redes sociais tiveram um incremento no tempo médio de cada pessoa conectada e no número de publicações. Os conteúdos tiveram um incremento de 9% em comparação com o fevereiro, mês anterior a pandemia. Já as ações subiram 5%.

Por outro lado, as marcas se tornaram mais hesitantes em publicar nas redes sociais durante este período. Em relação ao mês de fevereiro, as ações das marcas caíram cerca de 9%. Outro ponto que caiu foi o número de ações por post, ou seja, não está sendo eficiente o ato de promover o engajamento com o público. Na comparação entre janeiro e março, a queda é de 22%. Já e, relação, a fevereiro chega aos 11%.

A único setor que possuiu mais frequência nas redes sociais é os canais oficiais dos governos e também de instituições de saúde. Claramente, por estarem totalmente ligados a prevenção do Coronavírus. Como, por exemplo, as postagens de canais dos governos cresceram em 25%. Enquanto, das instituições de saúde na marca de 10%.

Por fim, outro ponto que estimulou o crescimento do consumo de internet é o aumento do uso de serviços de streaming. A demanda é tão grande que Netflix e Amazon indicaram no início da pandemia que iriam diminuir a qualidade padrão de transmissão para não sobrecarregar a rede.

Resumindo, a pandemia fez com que todas as formas de consumo fossem alteradas. O que nos resta é analisar se boa parte delas continuará após este período ou é apenas algo momentâneo.

Fonte das estatísticas: Shareablee

Pandemia aumenta consumo de internet e uso de redes sociais | Pit Brand Inside