Inside

Blog

02 . Julho

Compras por e-commerce disparam e setor de alimentos celebra crescimento de 295%

O cenário de consumo mudou totalmente com as restrições impostas pelo governo neste período de pandemia do coronavírus. Com isso, o e-commerce teve um crescimento impressionante. Sem a possibilidade de efetuar as suas compras de forma presencial, muitos consumidores iniciaram a sua transição para o digital e começaram a realizar as mesmas de forma remota, ou seja, em casa.

Os impactos para o varejo são enormes. Muitas empresas precisaram acelerar o seu processo de digitalização para continuarem lucrando mesmo com o isolamento social imposto para diminuir o contágio. Com isso, os números de conversões e compras pela internet disparou. De acordo com o Compre&Confie;, maior rede de confiança do mercado online, o e-commerce brasileiro faturou R$ 9,4 bilhões em abril, um aumento expressivo de 81% em relação ao mesmo período do ano passado.

Na mesma linha, o número de pedidos quase dobrou. Ao todo, foram 24,5 milhões de compras online, aumento de 98% em relação a abril de 2019. Neste cenário, as categorias que tiveram o maior crescimento foram: alimentos e bebidas (incremento de 294,8%), Instrumentos Musicais (+252,4%), Brinquedos (+241,6%), Eletrônicos (+169,5%) e Cama, Mesa e Banho (+165,9%). Ainda conforme a Compre&Confie;, apesar do crescimento de compras, o tíquete médio caiu em relação ao mesmo período de 2019.

A necessidade transformação digital fez com que o Brasil registrasse um aumento médio de 400% no número de lojas que abriram o comércio eletrônico por mês durante o período de pandemia.

Segundo a ABComm, a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, até o começo das ações para conter o coronavírus, na metade de março, a média era de 10 mil aberturas por mês. O número disparou, após as restrições impostas em decretos, chegando assim a 50 mil mensais. O mesmo levantamento, até o final de maio, uma soma de mais de 100 mil lojas, que aderiram ao e-commerce.

Por outro lado, com o maior fluxo, a taxa de tentativas de fraude em abril alcançou 4,3% em abril no mundo, um pouco abaixo da taxa de 5,3% em março, mas ainda assim acima dos 3,8% na comparação com o mesmo mês do ano passado.

A tendência pós-pandemia é que seja ainda mais necessário realizar o processo de transição digital. Isso porque, durante o período de pandemia muitos se habituaram com o conforto de realizar as suas compras de casa. Com isso, o fluxo de compras presenciais deve mesmo reduzir. Ou seja, quem não estiver conectado com os seus possíveis clientes pelas redes estará fadado a perder para algum concorrente que já presta esse serviço.

Compras por e-commerce disparam e setor de alimentos celebra crescimento de 295% | Pit Brand Inside